Comece 2019 de olho nas finanças da sua empresa

porSérgio Tavares

Comece 2019 de olho nas finanças da sua empresa

O domínio das finanças é importante para o sucesso de qualquer negócio. Entretanto, nem todo gestor ou dono de seu próprio negócio tem facilidade para se virar neste assunto. E isso pode ser fatal para a continuidade de sua empresa.

Para o sucesso de um projeto ou da criação de uma empresa é preciso, antes de mais nada, que seja feito um planejamento estratégico de forma bem estruturada. Este planejamento deve englobar todas as premissas que irão nortear a elaboração do orçamento, que nada mais é do que uma projeção, e que será a base do fluxo de caixa e da DRE (demonstração do resultado) da empresa.

O planejamento estratégico deve englobar todos os projetos que a empresa pretende lançar nos próximos anos, o custo de implantação de cada um deles, o quanto eles irão gerar de receita para a Cia e qual será o prazo necessário para a implantação, de modo que possa ser analisado se este prazo é viável dados os recursos financeiros disponíveis na empresa.

Para a conclusão do orçamento deve-se estimar a geração de receita para os próximos anos, com um estudo detalhado de reajuste de preços, comportamento da demanda e fatores externos, como situação econômica, concorrência, evolução tecnológica, etc.

Por fim, é preciso projetar todos os custos fixos e variáveis e as despesas operacionais, ou seja, aquelas que são vitais para a continuidade do negócio, tais como despesas de pessoal, administrativas, marketing,impostos, etc.

A consolidação deste planejamento estratégico é muito importante para o gestor da empresa pois possibilitará a ele analisar após a geração do fluxo de caixa e da DRE se a empresa tem uma boa perspectiva financeira futura e se a chance de crescer é factível, ou seja, se nos próximos anos a geração de receita será suficiente para arcar com todos os custos e despesas, gerar lucro e ainda remunerar o acionista que aportou recursos financeiros e quer o seu retorno sobre o investimento.

Após a finalização deste processo de planejamento estratégico o gestor deverá verificar mensalmente se a projeção orçamentária, de fato, se traduziu no fluxo de caixa, ou seja, se o previsto realmente foi realizado. E analisar todos os desvios, para entender se a empresa está seguindo o rumo certo ou não.

Finalmente, com a contabilização de toda a operação da empresa chega-se a DRE, que possibilitará ao gestor analisar de forma bem estratégica através de indicadores econômico-financeiros se a empresa está em boa situação e se o prognóstico futuro é positivo, ou seja, ela vai crescer de forma sustentável.

Estes indicadores ajudam o gestor a verificar, por exemplo, se a empresa tem saúde financeira para arcar com todos os custos e despesas no curto e no longo prazo, se o grau atual de endividamento da empresa não demanda a captação de novos recursos e empréstimos de terceiros, o que aumenta o risco operacional, se a taxa de rentabilidade da empresa está em linha com o esperado pelos acionistas, etc.

Como podemos ver, saber lidar com todos os aspectos financeiros que giram em torno de uma empresa é determinante para a boa gestão da mesma e é muito importante para o gestor entender o negócio com um timing que possibilite mudanças de estratégia para o atingimento das metas antes que seja tarde demais.

Sobre o Autor

Sérgio Tavares administrator

Sérgio Soriano Tavares, fundador da STavares Consultoria atua há mais de 15 anos no mercado, trabalhou em grandes empresas nos ramos de auditoria, tecnologia, construção civil, saúde e turismo como financial manager, business management controller, head of finance e auditor.

Deixe uma resposta